Seja produtor: abandone a mentalidade de consumidor

Seja produtor: abandone a mentalidade de consumidor

Já percebeu como a modernidade te convida todos os dias a se tornar cada vez mais consumidor e menos produtor? A mentalidade de consumidor tornou-se o padrão.

A cada dia que se passa, mais e mais formas de consumo são criadas: cada vez mais convidativas, de fácil acesso, baratas e, quase sempre, possuem aptidão para torná-lo altamente viciado em pouquíssimo tempo.

Na verdade, tornou-se o novo “normal” manter uma mentalidade de consumidor o tempo todo, somos incentivados a isso de todas as formas possíveis.

Você acorda e a primeira coisa que faz é pegar o celular e desliza pelos stories de algumas pessoas (muitas delas você sequer conhece).

Depois lê um amontoado de notícias desconexas do dia anterior.

Então você se levanta e, enquanto executa as primeiras tarefas do dia, escuta música.

Ao meio dia, assiste algum programa de TV, ao mesmo que recebeu e enviou dezenas, talvez milhares de mensagens por dia.

À noite, encerrando o dia, assiste ao jornal e dorme assistindo um filme da Netflix.

O que todas essas coisas dizem sobre sua rotina?

Dizem que você passa a maior parte do seu dia no modo consumidor.

Isso significa que você muito consome, mas pouco ou nada produz.

O problema de consumir demais e produzir de menos

Mulher abandonando o consumismo e adotando a mentalidade de produtor.

Você pode estar pensando agora, mas qual o problema de consumir coisas?

De fato, não há problema algum em consumir uma variedade de coisas. Elas foram criadas justamente para isso: serem consumidas. Os problemas começam a surgir quando existe um evidente desequilíbrio entre a quantidade de informação que se consome e quantidade do que se produz.

Quando isso acontece, é preciso pôr o pé no freio e repensar o modo com o qual você vem levando a vida e talvez seja hora de pensar em algumas mudanças.

Existem diversos efeitos negativos que um estilo de vida de consumidor pode trazer para sua vida – e talvez sequer esteja ciente deles.

Por isso, hoje vamos te ajudar a entender melhor esse problema listando 03 (três) efeitos negativos de se ter uma mentalidade de consumidor e o que fazer para retornar ao equilíbrio necessário de consumir-produzir.

Abandone a mentalidade de consumidor e gaste menos dinheiro

Mão poupando dinheiro ao adotar a mentalidade de consumidor.

Para consumir, é preciso ter dinheiro.

Portanto, a consequência mais lógica de se manter a mentalidade consumidora é gastar uma quantia considerável de dinheiro para manter seu padrão de consumo médio todos os meses.

Quanto você gasta, por exemplo, com assinaturas de serviço de streaming?

Pesquisas mostram que os gastos com esses serviços aumentam mais e mais a cada ano e a tendência é que continuem assim ao longo dos próximos anos.

Mais uma vez, não há problema algum em consumir qualquer tipo de coisa, estamos falando aqui do excesso.

Se você já sentiu a pulga atrás da orelha em relação ao seu consumo mensal com coisas não essenciais, talvez seja a hora de pensar mais profundamente sobre isso e procurar um meio de resolver o problema.

Por isso, se você quer evitar gastar muito dinheiro com coisas que só sugam e pouco agregam, talvez seja a hora de considerar adotar um estilo de vida mais produtor.

Você perde seu tempo

Homem desesperado por ter perdido tempo por ter uma mentalidade de consumidor.

Para consumir o que quer que seja, você tem necessariamente que gastar uma parte do seu dia com isso.

E, quanto mais opções de consumo se têm à disposição, mais tempo você provavelmente vai dispender todos os dias com isso.

O mais comum é pensar que é um absurdo pensar que esse tipo de coisa possa significar alguma coisa em relação à extensão do dia, afinal “são só alguns minutos”.

Todavia, basta analisar por alguns momentos e quantificar a quantidade de horas gastas todos os dias que você verá facilmente o quão custoso tem sido esse estilo de vida para você.

Filmes, músicas, séries, centenas de notícias… e se analisarmos quanto tempo é gasto durante um ano inteiro?

É muito tempo perdido. Tempo esse que poderia ser bem melhor aproveitado caso você investisse em coisas que são realmente importantes para você: seu trabalho, seus relacionamentos, seu desenvolvimento pessoal, etc.

Por isso, se você quer aproveitar melhor seu tempo, elimine de uma vez por todas a mentalidade consumidora de sua vida.

Inunda sua mente com excesso de informação inútil

Mulher cansada pelo excesso de informação e prestes a abandonar a mentalidade de consumidor.

Nossa capacidade de processar informações é limitada.

Por isso, não dá para consumir, todos os dias, uma quantidade infindável de informação de todos os tipos – texto, áudio, música, etc –, e imaginar que isso não terá nenhum efeito sobre você. Porque tem.

Alguns dois efeitos mais comuns causados pelo excesso de informação são: mente pesada, pensamentos “nublados”, dores de cabeças, cansaço e até problemas de visão.

É absolutamente comum, depois de um dia de consumo excessivo de informação sentir até mesmos todos esses sintomas de uma vez só.

Além disso, há, ainda, os efeitos psicológicos desse estilo de vida.

Quem nunca se sentiu mal depois passar o dia inteiro alguma tarefa porque ficou o dia todo assistindo séries ou jogando videogame?

É comum a sensação de ter “jogado o dia fora”.

Indo um pouco além, é de se considerar, também, que o consumo de tanta informação está diretamente relacionado com a procrastinação.

Dificilmente se procrastina para “não fazer nada”, quem procrastina em geral se ocupa bastante, mas com coisas fúteis e que não agregam em nada.

Além disso, o excesso de informação é um dos maiores inimigos da criatividade. Aliás, aqui no blog tem um artigo inteirinho sobre como ser mais criativo. Confira lá 🙂

Por isso, se você quer evitar mais esse efeito negativo em sua vida, a chave para isso passa por adotar imediatamente uma mentalidade de produtor.

Por que adotar a mentalidade de produtor e abandonar a mentalidade de consumidor?

Garota entendendo a importância de abandonar a mentalidade de consumidor.

O contrário da mentalidade de consumidor é a mentalidade de produtor.

Mas o que isso significa?

Mentalidade de produtor é, basicamente, um estilo de vida inverso da mentalidade de consumidor: você produz mais do que consome.

Portanto, em vez de gastar boa parte do dia consumindo coisas, a pessoa que adota a mentalidade de produtor usa seu dia para produzir coisas – escrevendo, criando conteúdo, projetos, colocando ideias em práticas, etc.

Ou seja, ambas as mentalidades estão em polos diametralmente opostos.

Porém, diferentemente da mentalidade de consumidor, adotando a mentalidade de produtor, você vai trazer apenas benefícios para sua vida.

Produzir coisas é algo bom, agrega sentido à sua vida. É absolutamente mágico e satisfatório ver coisas criadas por você ganharem vida e se tornarem coisas palpáveis, tangíveis, que podem ser apreciadas pelas outras pessoas.

Por isso, quando se é um produtor, a primeira coisa que vem junto com isso é a gratidão e felicidade de não estar desperdiçando tempo à toa, de estar criando coisas e agregando algum valor à vida e das outras pessoas também.

Há, ainda, muitos outros benefícios de viver por esse prisma: você vai procrastinar menos (pois vai estar trabalhando mais); vai se sentir mais satisfeito; vai, inclusive, possivelmente, ganhar mais dinheiro (porque vai estar produzindo coisas e eventualmente convertendo-as em dinheiro), etc.

Adotando essa mentalidade, você vai estar aprendendo a ressignificar o valor do seu próprio tempo: desperdiçar tempo vai se tornar um pecado para você, pois você sabe seu valor e como poderia estar aproveitando-o de maneira melhor.

Por fim, é certo que você também vai se tornar altamente seletivo em relação a tudo na sua vida. Não haverá mais espaço em sua vida para desperdiçar com coisas e inúteis, improdutivas e que não te levam a lugar nenhum.

Portanto, se você quer dar um passo em direção a uma vida diferente, com mais realizações e menos frustrações, adotar uma mentalidade de consumidor pode ser o primeiro passo para uma nova vida para você.

Conclusão

Não é preciso dizer que demonizar o consumo de qualquer seja a solução.

Consumir, de maneira equilibrado, é absolutamente saudável e necessário para que a gente se mantenha inteirado e conectado com o mundo à nossa volta.

Devemos, no entanto, prestar atenção e procurar corrigir o excesso de consumo, isto é, quando consumidor se torna a tônica de nossas vidas.

Quando isso acontece, é necessário repensar se esse modo de vida é realmente aquele que atende nossos anseios e se ele nos coloca mais próximos de nossos sonhos ou se nos afasta deles.

Uma forma inteligente de conciliar o consumo-produção em sua vida, é usando a famosa Técnica de Pareto, que consiste em dedicar 80% de seu tempo para atividades de produção (escrita, desenho, trabalho, etc), e 20% do tempo em atividades de consumo (filmes, séries, leitura).

Se você se identificou como alguém que está na mentalidade de consumidor há muito tempo, não é preciso se desesperar ou mesmo se recriminar pelo tempo perdido: normalmente as coisas sempre acontecem nos momentos certos e pelos motivos certos, e partir de agora você pode assumir o controle de sua vida.

Comece uma mudança gradual, eliminando aos poucos aquilo que mais consome seu tempo, abrindo, assim, espaço para que atividades de produtor se tornem mais comuns e ocupem mais espaço em sua agenda.

Portanto, o objetivo é alcançar um EQUILÍBRIO entre ambas as formas de mentalidade, porque ninguém é capaz de se manter cem por cento produtor ou consumidor – tampouco seria saudável ou sustentável tentá-lo –, tendo-se em mente que, quanto mais você produzir, mais sentido, realizada e plena será sua vida.

Gostou do post?

Então deixe um comentário abaixo e siga a gente nas redes sociais para ficar sabendo sempre que houver novas publicações 😉

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
J.R. Dittman

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.