“Rastreada, mas não indexada no momento”: como resolver?

“Rastreada, mas não indexada no momento”: como resolver?

Na hora de indexar as páginas de um site para que apareçam no Google, infelizmente, erros podem ocorrer, e um dos erros mais frequentemente relatados é o “Rastreada, mas não indexada no momento”.

Esse problema pode ter muitas origens, e o suporte do Google, que deveria funcionar uma verdadeira rede de suporte e tira dúvidas, infelizmente não fornece nenhuma solução prática e objetiva para os usuários, que ficam desorientados sobre como proceder a partir daí.

Além disso, a maioria dos conteúdos que existem pela internet sobre o assunto, basicamente, se prestam a replicar as informações teóricas fornecidas pela própria Google e, no fim das contas, há uma escassez de informações práticas sobre como resolver o problema.

Por isso, no artigo de você vai encontrar uma lista de procedimentos que você pode fazer com objetivo de fazer com que as páginas de seu site voltem a ser indexadas ou comecem a ser.

Mas primeiro vamos entender o que significa esse status e quais suas origens para, posteriormente, projetarmos uma solução prática para que você implemente imediatamente.

O que significa o status de página “Rastreada, mas não indexada no momento”?

Homem entendendo o significado do erro "Rastreada, mas não indexada no momento".
Entender o erro é essencial para conseguir resolvê-lo.

Esse status é visto no Google Search Console, ferramenta do Google para webmasters, que auxilia na indexação das páginas de blogs e sites, quando o usuário pede, seja diretamente ou via sitemap, a indexação de uma página para que aparece nos resultados de pesquisa do Google.

Segundo a explicação oficial, retirada do site do suporte do Google Search Console, esse status significa que:

Fonte: Suporte Google Search Console.

Rastreada, mas não indexada no momento: a página foi rastreada pelo Google, mas não foi indexada. Ela poderá ou não ser indexada no futuro, e não é necessário reenviar o URL para rastreamento.

Ou seja, isso significa que o Googlebot, o robô do Google que faz o rastreamento de páginas, já passou por sua página, fez o escaneamento padrão, mas, por algum motivo decidiu por não indexar a página.

Essa decisão não é irrevogável, o robô continuará a fazer sua varredura padrão de páginas e, em outro momento que ele passar pela página novamente, poderá decidir por indexá-la.

Além disso, é importante ressaltar que o status “Rastreada, mas não indexada no momento” não é a mesma coisa do status “Detectada, mas não indexada no momento”.

Como visto, quando a página é rastreada, significa que o Google já passou pela página e decidiu não indexá-la. Já no segundo caso, significa que o Google detectou a página, sabe que ela existe no seu site, mas ainda não fez a varredura para indexação, o que será feito em um momento posterior.

Portanto, no caso da “Detecção”, nenhum problema foi descoberto em sua página e a indexação não ocorreu provavelmente por motivos de remarcação de varredura.

Já no caso da página “Rastreada, mas não indexada no momento”, isso significa que, provavelmente, existe algum erro, seja na página ou no site, que está fazendo com que o robô do Google decida por não indexá-la.

Mas qual seria(m) esse(s) problema(s)?

A seguir vamos analisar os principais motivos que podem estar por trás do problema de indexação de páginas do seu site ou blog.

LEIA A SEGUIR: O que é ser uma pessoa Low Profile e quais suas vantagens

Principais erros que impedem a indexação das páginas

Imagem mostrando dispositivo com erro de "rastreada, mas não indexada no momento".
Principais erros que podem surgir no Google Search Console.

Como dito pelo próprio Google em suas páginas oficiais, muitos podem ser os problemas que estão por trás do erro de indexação, o problema é descobrir exatamente QUAL o problema específico.

O Google facilitaria em muito a vida dos usuários se simplesmente informasse, no relatório de erros, o motivo, mas, infelizmente, nós temos que descobrir por tentativa e erro cada caso em busca de respostas.

A seguir estão os possíveis erros que podem estar afetando seu site ou blog e impedindo a indexação das páginas, por isso é preciso avaliar todos eles:

Conteúdo de baixo valor ou duplicado

O Google, desde as últimas atualização do algoritmo, passou a dar atenção mais que especial ao conteúdo das páginas que ele indexa.

Isso significa que os sites que não oferecerem conteúdo de valor real aos seus usuários, não serão indexados pelo Google.

Portanto, se você quer que suas páginas alcancem o tão sonhado “topo” das páginas ranqueadas, você deverá fazer da qualidade o lema de todo o seu conteúdo, fazendo postagens longas (acima de 1200 palavras), bem detalhadas e que entregue conteúdo ao usuário.

Se sua página simplesmente replica “mais do mesmo”, compartilhando o mesmo tipo de conteúdo que pode ser encontrado em uma centena de blogs por aí, talvez esse seja o motivo dos seus problemas.

Conteúdo que viola direitos autorais

Essa é a famosa situação de plágio.

Se alguém pega o conteúdo de outra pessoa (mesmo que em outro idioma) e faz pequenas alterações com objetivo de “mascarar” a verdade, está cometendo plágio.

A despeito das consequências jurídicas reais que isso pode acarretar, no âmbito do Google, isso significa que sua página infringiu uma das diretrizes do site e sua página não será indexada.

Aliás, o mesmo padrão de exclusão de páginas duplicadas também é usado para aceitar ou não a participação no Programa de Parcerias do Google (o Google Adsense).

Portanto, mantenha seu blog 100% original e sem plágios, e, caso você tenha conteúdo plagiado em seu site, talvez esse seja o motivo do seu problema com a indexação de suas páginas.

Baixa qualidade técnica do blog ou site

Se seu conteúdo é 100% original e diferenciado e mesmo assim suas postagens continuam sendo travadas e não indexadas pelo Google, talvez, então, o problema esteja na qualidade técnica do seu site.

Atualmente, mais de 70% dos acessos a blogs e sites são feitos por meio de dispositivos móveis (celulares, principalmente), de modo que seu site deve ser totalmente responsivo para se adequar aos diferentes tamanhos de telas, display, etc.

Caso você não esteja velando pela qualidade técnica de seu site, atualizando diariamente a formatação e linguagens usadas, isso pode ser a causa do seu problema de indexação de páginas.

Mais à frente analisaremos as melhores maneiras de melhorar a qualidade técnica de seu site (e não apenas da página com problemas).

Por enquanto apenas tenha a consciência de que o Google não aceita mais sites com baixa qualidade técnica e, por isso, você deve trabalhar regularmente nesse aspecto e, se seu site não está 100% bem estruturado, talvez esse seja o motivo dos seus problemas.

Seu site ainda tem poucos meses de existência

Se seu site ainda é muito novo, talvez esse seja o motivo do seu problema de indexação com o Google.

Como veremos mais adiante, uma das boas práticas que garantem a indexação de seu site nas páginas do Google é ter uma boa rede de links internos bem estabelecidos.

E, no caso de um site ainda muito novo, não há muitas páginas para que possamos construir essa rede de links, e, como consequência, podem acontecer problemas de indexação.

Essas são apenas as causas mais comuns e, muito embora existam muitas outras possíveis causas, seria impossível e desnecessário tentar descrever todas elas aqui.

Sabendo, agora, as possíveis causas do seu problema, vamos agora à parte prática: o que você deve fazer para tentar reverter o problema de indexação e fazer o Google ranquear sua página.

LEIA A SEGUIR: Cinco motivos para deletar suas redes sociais agora

Tutorial: Como resolver o problema do status “Rastreada, mas não indexada no momento”

Homem seguindo o tutorial para resolver o problema de "rastreada, mas não indexada no momento".
Único tutorial prático da internet sobre como resolver o problema do “Rastreada, mas não indexada no momento”.

O tutorial a seguir foi escrito da maneira simples e prática possível, fornecendo a você passos simples e técnicos do que fazer para resolver o problema de indexação de suas páginas no Google.

Para ter os resultados pretendidos, é ESSENCIAL que você siga TODOS os passos descritos.

Fazer apenas um dos passos e esperar que o problema é um erro e só vai fazer-lhe perder tempo.

Siga os passos e, sobretudo, tenha paciência ao longo do processo e depois dele também e você aumentará bastante suas chances de resolver o problema do “Rastreada, mas não indexada no momento”.

1º PASSO: Melhore a qualidade técnica do seu site, eliminando todos os problemas de “Métricas da Web”:

A primeira coisa a se fazer, caso você esteja experimentando o erro de “Rastreada, mas não indexada no momento” é verificar as Métricas da Web do seu site.

As Métricas da Web são elementos que mostram a “saúde” do seu site quando os usuários tentam acessá-lo. Isso significa que essas métricas estão ligadas à qualidade estrutural do site como um todo, verificadas tanto em dispositivos móveis quanto em desktops, de modo que elas variam para cima ou para baixo de acordo com essa qualidade.

Essa avaliação é importante porque, para resolver esse problema precisamos nos atentar para a qualidade do site inteiro, e não apenas do site que vem apresentando problemas.

Foi exatamente esse o conselho dado por John Mu, advogado do Google, quando perguntando sobre como proceder quando nos deparamos com o erro “Rastreada, mas não indexada no momento”:

John Mu (Advogado do Google) | Postado em sua conta no Twitter. (Tradução automática)

Você não pode forçar a indexação de páginas — é normal que não indexemos todas as páginas em todos os sites. Não é um problema com “essa página”, é mais em todo o site. Criar uma boa estrutura de site e garantir que o site seja da mais alta qualidade possível é essencialmente a direção.

Sabendo que se trata de um problema do site inteiro, precisamos, então, nos focar em resolver os principais problemas estruturais do site, através da análise das Métricas da Web, para que as páginas voltem a ser indexadas

Essas métricas podem ser conferidas no seu painel “Experiência” do Google Search Console, logo abaixo do mapa de Cobertura:

Imagem mostrando o painel de Métricas da Web para resolver o problema de "Rastreada, mas não indexada no momento".
Você deve localizar se há “erros” no ponto indicado pelas setas, que ficam dentro da aba “Experiência” do Google Search Console.

Como se vê na imagem acima, o site analisado apresenta resultados “ruins” de métricas da web: 32 páginas apresentam falhas.

Essas métricas ruins sinalizam para o Google que um grande número de páginas do site não oferece uma boa experiência de navegação ao usuário, apresentando, provavelmente, lentidão, páginas quebras ou dificuldade de navegação.

Depois de identificado o problema, surge a seguinte questão: como fazer essas métricas ficarem verdes?

E é isso que você vai aprender agora.

Verificando os problemas de experiência de navegação da página

Para verificar exatamente quais são os problemas técnicos que estão fazendo sua página apresentar um desempenho ruim de experiência, é preciso usar uma ferramenta que faz uma análise completa nas páginas do site e retorna com valores específicos: o Web.dev.

O Web.dev é um site recomendado pelo próprio Google Search Console e é capaz de rastrear seu site e lhe apontar onde deve fazer mudanças técnicas melhorar a qualidade de suas páginas.

Para fazer isso, siga os seguinte passos:

Primeiro acesse o Web.Dev, digite o link do seu site e clique no botão “RUN AUDIT”:

Imagem mostrando como fazer uma auditoria do site no Web.Dev para resolver o problema de "Rastreada, mas não indexada no momento".
Digite o link do seu site no Web.Dev e clique em “RUN AUDIT” para saber a “saúde” técnica do seu site.

Depois disso, o site irá retornar para você diversos dados sobre três partes específicas do seu site: Performance, Acessibilidade, Melhores práticas e SEO.

Você deverá ver agora assim após o fim da análise:

Resultado da análise feita pelo Web.Dev
Relatório fornecido pelo Web.dev após a conclusão da análise do seu site.

Será atribuída uma nota de 0 a 100 para cada uma dessas áreas e você deve ficar atento se qualquer uma delas apresentar um valor INFERIOR a 90. Se isso acontecer, um sinal de alerta foi disparado e seu site provavelmente não está estruturalmente bem feito.

Performance: diz respeito à velocidade que seu aparece para o usuário, a velocidade é o principal aspecto analisado.

Acessibilidade: diz respeito à responsividade de seu site em relação aos usuários. Seu site deve possuir um tamanho de fonte do tamanho correto, recursos e botões que não se sobreponham, etc.

Melhores práticas: analisa a forma de codificação do site, isto é, se os códigos HTML e CSS foram estruturados da melhor maneira possível. Quando mal elaborados, esses códigos podem gerar problemas de renderização da página no navegador.

SEO: talvez seja a métrica mais importante a se avaliar. Problemas nessa parte do diagnóstico podem indicar que seu site não está bem estruturado para que os mecanismos de busca rastreiem suas páginas e indexem corretamente.

Mas a grande pergunta que fica, principalmente se você não é um Desenvolver e possui experiência com desenvolvimento de sites é: como resolver o problema?

E existem duas abordagens para isso.

A primeira é para os usuários que possuem um site de estruturação própria, desenvolvidos por uma empresa especializada, por exemplo.

E a segunda é para os usuários de CMS – do inglês, Sistema de Gerenciamento de Conteúdo – (tais como WordPress, Joomla, etc), que acredito, seja a maioria dos casos.

Sites de estrutura própria

Como não possuem uma estrutura padronizada, é impossível para qualquer um oferecer qualquer tipo de solução. Somente a pessoa que desenvolveu o site possui os elementos e capacidade de entender a estrutura do site e resolver os problemas. Contate o desenvolvedor e informe que o site está apresentando problemas de Métricas da Web e fale sobre o relatório do Web.Dev, analisando os dados, ele será capaz de ajustar o site, eliminando o problema do “Rastreada, mas não indexada no momento”.

Sites CMS (WordPress, Joomla, etc)

Caso você seja usuário de algum CMS, a melhor maneira de resolver o problema de Métricas da Web é mudando o tamplate/tema do seu site ou blog.

A explicação é muito simples. Praticamente todas as métricas usadas para avaliar o site estão contidas dentro do template do seu site wordpress, portanto, mudando-se o template, poderemos alterar essas métricas.

Além disso, mantenha seu template atualizado (seja template FREE ou PREMIUM). Normalmente, você recebe uma mensagem no painel de controle do seu site informando quando há novas atualizações. Essa prática rotineira é necessária para que seu site não se torne defasado com o tempo.

Isso nos remete à importância de se usar templates e temas atuais, responsivos e que estejam sendo atualizados constantemente. Se você usa um template antigo que não possui mais suporte dos desenvolvedores, problemas de Métricas da Web poderão se tornar comuns porque o algoritmo do Google se aprimora todos os dias.

As imagens abaixo mostram o que acontece com as Métricas de um MESMO site quando o template é alterado:

Template Dolpa apresenta resultado ruim para as métricas da web o que pode favorecer o problema "Rastreada, mas não indexada no momento"
Teste de performance feito com um site que usava o template Dolpa mostrou desempenho abaixo de 90.

Então, fez-se a alteração para outro template e o mesmo site apresentou essas métricas:

Template generatepress mostrou excelente desempenho e provavelmente resolveria os problemas de "rastreado, mas não indexado no momento"
A mudança para o template GeneratePress fez com que o site apresentasse desempenho excelente em todos os aspectos analisados na performance do Web.dev

Como pode ver, as métricas foram completamente alteradas apenas mudando o template do site para outro com melhor desempenho, isto é, em questão de minutos.

Lembre-se também que é praticamente impossível conseguir métricas perfeitas, isto é, atingir 100 em todos os quesitos. Fique satisfeito com valores acima de 90.

Então como fazer isso?

  1. Se você usa um template premium, isto é, PAGO, entre em contato com os desenvolvedores do seu template e informe sobre o problema e peça por uma atualização do tema;
  2. Se você usa um template FREE (maioria das pessoas): procure pelos temas mais atuais e que estejam disponíveis para uso no próprio site do WordPress. Verifique sempre quando foi a última atualização do template, pois assim você ficará sabendo se se trata de um tema defasado ou não.

Atualmente, os dois templates grátis que apresentam melhores resultados de Métricas da Web são o Generate Express e o Astra.

Esses templates são projetados para serem extremamente rápidos, usando poucos recursos do seu servidor, são 100% responsivos e, por isso, apresentam ótimos resultados de métricas, como deu pra ver nos testes feitos acima.

Em suma, você DEVE alterar o template do seu site para um template que registre boas Métricas da Web conforme mencionado acima, sem isso fica impossível alterar os valores.

E depois de mudar o template, o que fazer?

Após isso, você deve requerer ao Google, no painel do Google Search Console que Inicie uma validação das páginas que estavam com problemas.

Para isso, siga os seguintes passos:

  1. Vá no painel do Google Search Console;
  2. No painel “Experiência”, clique em “Principais Métricas da Web”;
  3. Dentro disso, vá primeiro na aba DISPOSITIVOS MÓVEIS e clique em “Abrir relatório” (depois você tem que fazer o mesmo procedimento na aba “COMPUTADOR”;
  4. Selecione no checkbox em todas opções de páginas: Ruins, Melhorias necessárias, Bom.
  5. Em “Detalhes”, logo abaixo, clique na opção em que apresenta as páginas com problemas. No caso da imagem abaixo, não existem páginas “Boas” nem “Ruins”, apenas páginas de “Melhorias Necessárias”.
  6. Na página que se abrir, clique em “INICIAR VALIDAÇÃO”. Isso fará o Google analisar suas páginas e verificar se seus problemas ainda continuam.

Após fazer o procedimento acima, você verá uma página como esta:

Imagem mostrando o início da validação das páginas com defeito no Google Search Console para resolver o problema do "Rastreada, mas não indexada no momento".
Você verá um “contador” marcando início da validação das páginas após mudar o template do seu CMS.

O próprio Google informa que essa validação pode levar até 28 DIAS, e mesmo assim não há garantia de conclusão nesse período, mas apenas expectativa de que isso aconteça.

Por isso, é preciso ter muita PACIÊNCIA, porquanto os resultados das mudanças de template não surtem efeitos de um dia para o outro.

Depois, repita a mesma sequência, só que agora clicando na aba “COMPUTADOR”. Pois é preciso validar tanto para dispositivos móveis quanto para computadores (volte ao passo 3).

No meu caso, após apenas UM DIA, houve a validação das páginas feitas via Computador. Você recebe a mensagem de que a validação foi “APROVADA” conforme a imagem abaixo:

Imagem mostrando que as Métricas da Web se tornaram OK após a mudança de template.
Imagem confirmando que a validação foi “APROVADA” e que as páginas estão “OK” após a mudança de template.

Já no caso dos dispositivos móveis, levou-se, aproximadamente, 21 dias para que a validação fosse aprovada. Mas também ocorreu.

Ou seja, a mudança de template de um site WordPress foi capaz de resolver todos os problemas de Métricas da Web e fez o Google Search Console validar todas elas, apontando que os erros de antes desapareceram completamente.

Após isso, TODAS as minhas páginas voltaram a ser indexadas normalmente desde que a validação feita via computador foi concluída, mas você ter paciência e esperar, no mínimo, um mês para saber se deu tudo certo ou não.

Eu recomendo que você mantenha-se enviando páginas para indexação após os pedidos de validação e vá avaliando o que vai acontecendo. É bem provável que, “do nada”, suas páginas voltem a ser indexadas.

E se a mudança de template não funcionou?

Se você seguiu todos esses passos, seu site está, agora, apresentando excelentes resultados de Métricas da Web, você enviou várias páginas para indexação e mesmo assim o problema de “Rastreada, mas não indexada no momento” persiste, então, provavelmente, o problema do seu site está relacionado ao conteúdo o a ausência de uma boa linkagem de páginas internas.

A mudança de template ou avalição do desenvolvedor resolve os problemas técnicos do seu site, e se o Google já validou os problemas e mesmo assim as páginas não indexam, seu problema pode estar ligada uma dessas duas coisas.

Em outras palavras, você pode estar postando conteúdo duplicado (mais do mesmo), plagiado (viola direitos autorais) ou de baixa qualidade ou não está fazendo corretamente a linkagem interna das páginas de seu site.

Seja qual for seu erro, abaixo você descobre como resolver esses problemas caso a melhoria das Métricas da Web não tenha conseguido fazer suas páginas serem indexadas novamente.

LEIA A SEGUIR: Pen drive falso com memória adulterada: como identificar

2º PASSO: Resolva os problemas de conteúdo duplicado, que viola direitos autorais ou de baixa qualidade

Pessoa escrevendo artigos de qualidade com objetivo de evitar o problema de "Rastreada, mas não indexada no momento".
É preciso “escrever bem” para ser indexado pelo Google atualmente.

Não há necessidade de criar um tópico específico para cada um desses problemas porque o modo resolver todos eles é um só: aumentando a qualidade do seu conteúdo escrito.

Quando ao conteúdo duplicado “mais do mesmo”, pense em como a internet está repleta de conteúdo igual, como você pensa em se destacar e ranquear sua página no topo fazendo o que todo mundo está fazendo? Esta página que você lê agora é o oposto de “mais do mesmo”, eu não encontrei nenhuma página com um tutorial específico de como resolver o problema de “Rastreada, mas não indexada no momento”, então eu decidi criar este conteúdo único, prático e objetivo.

Faça o mesmo e procure tópicos únicos, pouco abordados. A principal diferença aqui é a INOVAÇÃO, seja o primeiro a publicar sobre determinado assunto e isso o tornará uma autoridade nessa área.

Quando ao conteúdo que “viola direitos autorais” o plágio, acho que nem preciso dizer. A ideia de pegar conteúdo de outros sites e tentar mascarar que é um conteúdo autoral é suja e criminosa. Se você não quer enfrentar problemas com o Google e problemas jurídicos sérios, é imprescindível que você sequer pense nisso. Aliás, traduzir conteúdo de outros idiomas também é considerado plágio pelo Google.

Conteúdo de baixa qualidade está ligado ao artigo em si, à qualidade da informação que você está passando. O Google não é mais o mesmo de 2013, se você pensa que poderá ranquear no Google escrevendo artigos de 500 palavras, você está acabado. O Google quer, cada vez mais, conteúdo densos e longos, no mínimo, hoje, eu diria que uma postagem para ranquear bem no Google deve ter 1200 palavras, além de ser, obviamente, 100% autoral e de conteúdo não repetitivo.

Melhore seus artigos já publicados, exclua artigos eventualmente plagiados e renove constantemente suas postagens para que elas estejam sempre atuais para o Google.

Seguindo esses passos, depois de ter feito a melhoria de suas Métricas da Web, tenha paciência e espere para ver se seus problemas ainda continuam seja com os artigos já publicados e os que foram publicados posteriormente às melhorias feitas.

3º PASSO: Faça uma boa ancoragem e linkagem de páginas internas (criar páginas de referência)

Criar páginas de referência é essencial para na indexação de páginas no Google da maneira certa.

Outro fator importantíssimo e, muitas vezes negligenciado pelos produtores de conteúdo, é a ausência de uma linkagem de páginas internas bem feita.

E a ausência dessa linkagem pode prejudicar a indexação de seu site como um todo.

O Google, ao rastrear uma página, verifica todas as páginas internas (outras páginas de seu site) que direcionam para a página que você está indexando e também as páginas que existem dentro da sua postagem. Ou seja, avaliam-se as páginas internas como um todo.

NUNCA, em hipótese alguma, você deve pedir a indexação de uma página sem ter feito nenhuma linkagem interna nela.

Além disso, a “qualidade” das páginas que você linka faz a diferença na hora do Google decidir indexar a página ou não.

Quando você faz a indexação da página o Google indentifica todos os links internos existentes na postagem e faz uma avaliação delas: são as chamadas páginas de referência.

Nas imagens abaixo você pode ver uma página em que foi pedida a indexação, porém não havia links internos nela, e o Google não indexou, e outro em que havia diversos links internos, e o Google indexou normalmente:

Postagem rastreada, mas não indexada em razão da ausência de páginas de referência
A página não possui links internos, por isso o Google não identificou nenhuma “Página de Referência” e também não indexou a postagem.
Página indexada normalmente em razão da existência das páginas de referência.
A página possuía dois links de referência na hora da indexação e o Google entendeu como página importante e indexou normalmente.

Por isso, se você realmente precisa que uma página seja indexada da maneira mais rápida possível, faça uma linkagem extremamente bem feita nelas.

Lembrando que não se trata da quantidade de links, mas sim da QUALIDADE deles.

Então coloque links nas suas páginas mais importantes (que recebem mais visitas) apontando para a página que você pretende indexar, e também coloque diversos links na sua postagem direcionando para outros artigos do site.

Não existe um número específico de links internos que você deve colocar em cada postagem, mas 3 links é uma quantidade razoavelmente boa.

Por isso, nunca se esqueça de construir uma excelente rede de links internos em todas as páginas que você pretende indexar ANTES de enviar ao Google Search Console.

Isso diminuirá as chances de sua página ser rejeitada (lembre-se, você deve fazer isso APÓS melhorar as Métricas da Web de site, e estar seguro da qualidade de suas páginas, fazer apenas esse passo provavelmente não é suficiente para fazer o Google indexar suas páginas).

LEIA A SEGUIR: Como ser criativo: aprenda a estimular sua criatividade da maneira certa

4º PASSO: Em último caso, delete e poste novamente a página não indexada

Deletar as páginas não indexadas e postá-las novamente pode resolver o problema do "Rastreada, mas não indexada no momento".
Deletar e postar novamente as páginas que não estejam sendo indexadas é o último recurso a ser tentado.

Se você seguiu todos os passos anteriores: melhorou as Métricas da Web de seu site, assegurou-se da qualidade de suas postagens, fez uma boa linkagem de páginas internas e esperou um tempo razoável até que seu site novo fosse encontrado pelo Google e indexasse as páginas, mas, mesmo assim, nada resolveu, cabe ainda uma última tentativa: deletar e repostar sua postagem.

Isso só deve ser feito APENAS se TODAS as outras abordagens falharam.

Essa não é a melhor das abordagens, pois nunca é bom deletar páginas (isso pode bagunçar seu SEO), então o melhor é sempre tentar preservá-las, fazendo sua manutenção periodicamente.

Mas se você seguiu fielmente todos os passos listados, porém o Google continua não indexando suas páginas ou se o Google só está indexando páginas novas (e as antigas, postadas antes de seguir esse tutorial, não são indexadas), talvez seja melhor repostá-las.

Assegure-se de fazer isso apenas depois de TODOS as outras tentativas terem falhado e de você ter esperado um período razoável de tempo (pelo menos um mês após as melhorias serem concluídas), e mesmo assim o Google não indexar as páginas.

Isso aconteceu comigo.

Eu fiz o procedimento e todas as páginas novas passaram a ser indexadas normalmente, sem problemas, mas as antigas páginas não foram indexadas (acredito que isso ocorra por algum impedimento do algoritmo do Google).

Então delete a página que não está sendo indexada, de preferência faça algumas melhorias no texto (para não postar exatamente o mesmo texto mais uma vez), tente mudar o título da postagem e, principalmente, o SLUG da página (que mostra como a página fica no navegador):

SLUG sendo alterado para que o problema de "Rastreada, mas não indexada no momento" despareça.
Altere o SLUG na hora de repostar seu artigo. Isso aumenta as chances de o Google indexar as novas páginas publicadas DEPOIS de ter feito as alterações dos passos anteriores.

É importante que fique diferente para que o algoritmo entenda que essa é uma nova página e que deve ser considerada sob as novas melhorias feitas.

Se não houver problemas que passaram despercebidos, repostar a página, provavelmente, fará o Google indexá-las caso você tenha cumprido todos os outros passos anteriores.

LEIA A SEGUIR: O que é ser um Outsider segundo Colin Wilson

5º PASSO (EXTRA): Verifique a idade do seu site

Homem verificando a idade do seu site para não haver problemas de "Rastreada, mas não indexada no momento".
Se seu site ainda é muito novo, o melhor a se fazer é esperar um certo período de tempo.

Este não é exatamente um passo a se seguir, mas apenas algo que você deve ficar ATENTO, pois a idade do seu site ou blog pode estar influenciando na hora de o Google indexar as páginas e causando o problema do “Rastreada, mas não indexada no momento”.

Esse caso específico acontece frequentemente com sites que sejam muito novos (menos de 3 meses de existência).

Nesses casos é comum que o Google demore para fazer a indexação de suas páginas, por isso preciso paciência.

O melhor que você pode fazer é garantir que suas Métrica da Web estejam boas, que seu conteúdo é de qualidade, enviar as postagens de site via sitemaps e via indexação direta no Google Search Console, fazer uma boa linkagem de páginas internas e ter paciência para ver se as páginas serão ou não indexadas.

Apenas depois de um período grande de tempo é que você pode considerar a existência de algum problema (mais de 3 meses com NENHUMA página sendo indexada).

E, caso isso aconteça, basta seguir as práticas aqui descritas para resolver o problema.

LEIA A SEGUIR: Os 10 mais poderosos Versículos da Bíblia para refletir e suas lições

Conclusão

O problema do “Rastreada, mas não indexada no momento” é um erro que tem se tornado cada vez mais comum e causado problemas para produtores de conteúdos e blogueiros do mundo todo.

E, infelizmente, a maioria dos artigos disponíveis na internet não fornecem informações objetivos, um “caminho” para onde seguir na tentativa de dar um fim ao problema.

Por isso, neste artigo, o problema foi abordado a partir de pontos diversos (problemas técnicos, de conteúdo, de algoritmo, etc), com objetivo de fornecer uma solução rápida e solver algumas dúvidas importantes para todos.

Como tudo que envolve o algoritmo do Google, não há solução que tenha 100% de probabilidade de funcionar, mas o tutorial aqui postado fornece chances reais de fazer com que as páginas de seu site voltem a ser indexadas com rapidez e normalidade.

Obrigado por ler até aqui.

Se você gostou deste artigo, por favor, compartilhe em suas redes sociais e comente abaixo se essas soluções resolveram ou não seu problema.

Deixe-me saber se este artigo foi útil para você!

===================

Escrito por J.R.

Gostaria de ter um artigo como este em seu blog ou site? Você pode me contratar como REDATOR. Saiba mais sobre isso CLICANDO AQUI!

***Todas as informações e ideias contidas neste site, bem como seus artigos, são protegidas por direitos autorais e não podem ser plagiadas ou reproduzidas sem a expressa autorização do Autor.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
J.R. Dittman

6 thoughts on ““Rastreada, mas não indexada no momento”: como resolver?

    1. Muito obrigado por isso, Salvador!

      Receber um comentário desses vindo de alguém que faz parte de uma das empresas que eu mais admiro e me inspiro, a Rock Content, é realmente incrível.

      Se houver a possibilidade de algum dia de eu escrever para a Rock Content como escritor convidado ou fazer alguma postagem em parceria, por favor, deixe saber disso imediatamente. Seria uma honra e um sonho realizado para mim contribuir com vocês de alguma forma.

      Mais uma vez, muito obrigado. Espero vê-lo por aqui mais vezes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.