Afirmações positivas funcionam? Uma experiência

Afirmações positivas funcionam? Uma experiência

Afirmações positivas poderosas realmente funcionam?

Durante sete dias eu escutei afirmações positivas e agora vou lhes passar um relato completo da minha experiência com esse poderoso meio de aumentar nossa produtividade e evitar a procrastinação.

O intuito dessa minha experiência foi constatar de maneira prática se ouvir um áudio pré-gravado com determinadas afirmações pode ou não influir em nosso comportamento ou se há não efeitos tangíveis.

Desde já, quero deixar claro que se trata da minha experiência pessoal com afirmações positivas. Pessoas diferentes podem ter respostas diferentes a estímulos iguais, ou mesmo nenhuma resposta. Portanto, esteja ciente de que se trata unicamente de um relato e de observações de cunho particular.

A preparação

Antes de começar de fato a ouvir as afirmações positivas, eu tive de preparar o melhor método e como se dariam as coisas nos próximos sete dias.

O primeiro passo foi decidir quais seriam as afirmações positivas que eu escutaria durante alguns minutos todos os dias.

Particularmente, eu me decidi por usar afirmações mais simples possíveis, em tom IMPERATIVO, de modo que simulasse alguém a me dar ordens.

As frases que eu gravei, dentre outras, foram:

“Você é uma pessoa cheia de vida e que termina tudo que começa”

“Você está se sentindo extremamente bem e disposto hoje”

“Você está animado e pronto para trabalhar com confiança”

O objetivo era foi preparar uma série de áudios que despertassem em mim os melhores sentimentos possíveis, lembrando-me diariamente qual era meu propósito e onde deveria estar meu foco e minha atenção naquele dia.

Porém, caso você queira testar em si mesmo, deverá escolher as mensagens que sejam mais pertinentes ao seu objetivo.

O segundo passo foi gravar as afirmações positivas com minha própria voz (ouvindo sua própria voz o efeito para ser potencializado).

Para isso, utilizei meu próprio celular, com o gravador de voz nativo, nada de muito complicado. O intuito era ter um áudio disponível rapidamente sempre que precisasse reproduzi-lo.

Feito tudo isso, faltava apenas decidir os momentos do dia em que eu escutaria as afirmações.

Definindo o melhor momento para ouvir as afirmações positivas

Tendo tudo definido, eu precisei então decidir quais seriam os melhores momentos para reproduzir os áudios gravados.

Esta etapa é extremamente importante, porque é você deve ouvi-los sempre nos horários em que você esteja mais suscetível de absorver a mensagem profundamente.

Por isso optei por reproduzi-los em dois momentos específicos do dia: pela manhã, logo antes de me levar, e à noite, antes de dormir.

A ideia era que eu iniciasse o dia com o “gás” dado pelas mensagens positivas, e encerrasse o dia também a escutá-las.

Lembrando, também, que eu escutaria todas as mensagens usando um fone de ouvido, para que a experiência fosse a melhor possível.

Os sete dias ouvindo afirmações positivas diariamente

Dia 01 (Segunda-feira)

Como tudo na vida, o início é sempre a melhor parte.

Eu estava muito animado com a experiência e, assim que eu abri os olhos, já abri o celular e pus os áudios para reproduzir imediatamente.

Confesso que não senti nenhum grande sensação – e também não esperava sentir –, apenas a empolgação que estava no alta naquele primeiro dia.

Depois de escutá-los, segui com minha rotina normal.

Não sei se foi em razão dos áudios ou o efeito placebo deles, mas, naquele primeiro dia, foi extremamente produtivo e cumpri todas as minhas tarefas.

Dia 02 (Terça-feira)

A excitação, naturalmente, já não era a mesma do dia anterior, mas ainda estava super animado com a experiência.

Repeti o mesmo ciclo do dia anterior, porém, logo no início da manhã, quase esqueci de reproduzir os áudios, mas felizmente me lembrei a tempo.

Foi um dia rotineiro e comum.

Dia 03 (Quarta-feira)

Foi onde os primeiros problemas começaram.

É comum, em tudo que a gente começa, uma motivação enorme no início, mas que vai diminuindo aos poucos conforme os dias vão se passando.

E comigo não foi diferente.

Logo pela manhã, senti pouquíssima vontade de ouvir os áudios e, para completar, acordei atrasado para um compromisso que tinha pela manhã.

Mas a vontade de levar a sério essa experiência me fez não deixar de cumprir com o que estava planejado, escutei enquanto trocava de roupas.

O dia em si foi produtivo, mas eu senti o começo de uma sensação de desânimo em relação à experiência crescer em mim. Eu sempre procrastinei muito, e o padrão de minha procrastinei quase sempre envolveu iniciar uma coisa, mas logo depois me cansar daquilo e deixar para lá.

Eu notei que isso estava acontecendo mais uma vez.

Porém, segui em frente com o dia e escutei, sem muita vontade, os áudios da noite.

Dia 04 (Quinta-feira)

Acordei imediatamente sem vontade NENHUMA de prosseguir com a experiência. Pensei em como aquilo era uma baita perda de tempo… em resumo, minha mente gritava e criava narrativa constantes para que eu desistisse.

Porém, me mantive firme. Eu realmente queria chegar ao fim.

Mesmo contra vontade, escutei os áudios pela manhã, e segui com meu dia.

Foi um dia péssimo, eu estava com vários problemas pendentes que demandavam que eu os resolvesse pessoalmente.

À noite, estava exausto. Cochilei sem ouvir os áudios, mas despertei alguns minutos depois e me lembrei. Escutei o áudio e segui com o experimento.

Dia 05 (Sexta-feira)

Foi o pior dia de todos.

A falta de animação do dia anterior estava três vezes maior e eu estava decidido a desistir de tudo de uma vez por todas.

Levantei, sem escutar os áudios, e me preparava para seguir meu dia quando apenhei um livro na estante para foleá-lo.

O livro era (NOME DO LIVRO), um livro que adoro e já li duas vezes. O livro fala sobre (xxxxxxxxx).

Imediatamente tomei consciência do que estava fazendo e que estava, mais uma vez, começando algo e desistindo no meio. Eu odeio fazer isso, sei como esse tipo de atitude era prejudicial, mas lá estava eu fazendo de novo.

Peguei meu celular, escutei os áudios com calma e segui meu dia.

O resto do dia foi absolutamente maravilhoso, tranquilo e cheio de paz. Quando a gente faz o que é certo, parece que uma sensação boa toma conta de toda nossa vida e do nosso dia.

Escutei os áudios à noite e dormi tranquilamente.

Dia 06 (Sábado)

Acordei me sentindo absolutamente em paz.

Não havia conflito algum em mim. Levantei na hora exata. Escutei os áudios matinais. Cumpri com todos os meus deveres, resolvi problemas, dei atenção às pessoas importantes para mim.

Não foi o mesmo sentimento do primeiro dia – de euforia –, mas o sentimento de paz. Apenas paz.

Eu sentia que estava tudo bem, que cumprir minha obrigações não era nada de especial, mas sabia sua importância. Era como se as coisas tivesse finalmente tomado o peso que eles deveriam ter. Nem a mais nem a menos.

O dia se encerrou tão bem quanto começou.

Foi neste dia que eu comecei a perceber que as afirmações positivas realmente funcionam e podem ser úteis de certa forma, a depender do contexto.

Dia 07 (Domingo)

O último dia da experiência: foi um dia de REFLEXÃO.

Eu não tinha atividades no domingo – é o meu dia sagrado de descanso em que eu não me permitido que nada tire minha paz –, então eu passei o dia em casa.

Ao longo dia, entretanto, pensei e meditei profundamente sobre mim, sobre onde eu estava na vida, sobre o que eu queria, se tudo estava indo para onde eu queria. Em mim, comecei a tomar decisões que eu adiava há meses.

Sem dúvida, eu senti que algo havia mudado, nada de grandioso, nada que me fizesse virar um ser-humano super poderoso que nunca procrastina e que só trabalhava e é produtivo todos os dias, mas eu estava mais ciente de mim.

Ouvir, todos os dias, eu mesmo me dizendo para continuar firme, para continuar bem e para não desistir realmente fez uma enorme diferença, ainda que sútil, mas fez, e em apenas sete dias.

Escutei os áudios como de costume, mas, sinceramente, senti que nem mesmo era mais necessário ouvi-los, não porque não funcionasse, mas porque eu já havia entendido, através deles, o meu “porquê”.

Conclusão

Minha experiência durante esses sete dias foi absolutamente diferente. Eu nunca tinha feito nada parecido com isso, mas me surpreendi positivamente.

Se afirmações positivas funcionam? Na minha opinião, sim, definitivamente elas terão algum efeito sobre você, como você reagirá a elas, isso é subjetivo.

No meu caso, eu concluo que a experiência foi positiva de diversas formas.

Ouvir todos os dias aquelas afirmações fez com que eu me tornasse extremamente autoconsciente sobre mim. Imagine se você ouvisse, todos os dias, você mesmo, duas vez ao dia, te lembrando de suas metas, te apoiando, te encorajando a continuar firme? Como você reagiria?

É exatamente assim que as afirmações positivas funcionaram para mim. Elas foram como uma força externa que eu absorvia todos os dias e me faziam continuar consciente do que eu queria: a não desviar do foco.

Se a experiência valeu a pena? Definitivamente.

Eu acredito mesmo que devemos testar, pôr em prática tudo aquilo que a gente sente que pode ser útil: é mil vezes melhor se frustrar por ter tentando algo novo e não ter funcionado do que nunca saber a verdade.

Curtiu nosso post de hoje?

Então compartilhe com seus amigos e siga nossos perfis nas redes sociais para mais informações, artigos e textos sobre produtividade 😉

Aqui no blog tem um artigo inteirinho sobre como acabar com a procrastinação que pode ser bem útil para se ler em seguida, confere lá 🙂

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %
J.R. Dittman

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.